segunda-feira, 20 de março de 2017

Sessão Lágrimas: "Hope" - a vida depois do abuso

   Olá, queridos amigos, companheiros, colegas e leitores aqui do blog. Tudo bem com vocês? Quanto a mim, eu poderia estar melhor, poderia ter ido no show do BTS que teve aqui no Brasil, mas não, não fui. Mas paciência é uma virtude, chegará o dia em que poderei ir assistir tudo que eu quiser. UHEUEHUEHEUHEUEHEHEUH eu espero, pelo menos. Voltarei a indicar filmes, como sempre faço, e o de hoje promete lhes arrancar lágrimas e causar revolta.


   Hope, ou Wish (como também é chamado), é um drama dirigido por Lee Joon-ik, escrito por Jo Joong-hoon e Kim Ji-hye, lançado em 2013 e ganhador do prêmio de Melhor Filme no trigésimo quarto Blue Dragon Film Award. Felizmente, é um dos filmes coreanos que podemos encontrar no Netflix.

   Esse filme conta a história de So-won, uma garotinha de apenas oito anos que vive com os pais. Dentro de casa, apesar de não lhe faltar nada do essencial para viver, So-won sente falta de receber um pouco mais de atenção de seus pais, já que passam por momentos de crise financeira e matrimonial. Sua mãe passa o dia trabalhando na loja da família, que fica abaixo de sua casa, e está grávida do segundo filho, apesar de seu pai ainda não saber, e seu pai passa o pouco tempo que está em casa assistindo esportes na televisão ou dormindo.


   Em uma manhã bastante chuvosa, So-won se arruma para ir para a escola sozinha, já que seus pais estão ocupados. Obedeceu as ordens da sua mãe e, mesmo estando atrasada, seguiu pela avenida principal, ao invés de pegar um atalho por alguns becos. Porém, estando a um quarteirão de sua escola, So-won é abordada por um senhor que estava todo encharcado da chuva, pedindo para que ela desse carona para ele debaixo do guarda-chuva, mesmo ela estando tão próxima da escola.

   As cenas seguintes são aquelas que umedecem os olhos e traz aquele desconforto para o coração, de uma forma tão forte, que você se sente próxima da vítima, mesmo sendo o caso de um filme. So-won, que havia obedecido a mãe e andado pela rua principal, que estava indo para a escola em plena luz do dia, que estava em uma rua onde até mesmo alguns colegas estavam passando por lá, que estava a um quarteirão da escola, foi levada.

   Depois de alguns instantes, a polícia estava cercando uma área de construção em frente a escola, já que So-won sozinha e ensaguentada ligou para a polícia ela mesma. Essa pequena garota de 8 anos, foi abusada sexualmente e sofreu inúmeras lesões externamente e internamente, causando danos permanentes na sua saúde física, emocional e psicológica. E, mesmo que a violência não tenha sido explícita no filme, o resultado e a ideia foram o suficiente para fazer meu estômago revirar.


   Essa cenas que citei, foram apenas o início do filme, pois o grande problema que ele aborda, além de como restaurar uma família após algo dessa escala, também é sobre a punição do autor de toda essa violência. Será que a justiça aceitaria a defesa de um ser que causou tanto dano a uma criança, que ela se torna incapaz de conversar ou olhar o próprio pai?

   Na minha opinião, a história do filme (de acordo com seu propósito) foi muito bem escrita e, creio, que capaz de causar as reações que os escritores realmente desejavam dos telespectadores. Os cortes de cenas ficaram fantásticos, trilha sonora aceitável e fotografia muito boa. Obviamente não é um filme que eu indicaria para crianças assistirem, mas um drama que deixa as perguntas certas sobre casos de abuso sexual.


   Enfim, essa foi minha indicação da vez, espero que gostem do filme, se bem que "gostar" não é bem o verbo certo a ser usado, se é que me entendem. Vocês perdoariam alguém assim? Não deixem de comentar. Quem já assistiu ou quem for assistir, não deixem de me avisar. Quero saber se minhas indicações estão sendo útil pra vocês. Obrigada pela atenção!

quarta-feira, 15 de março de 2017

Indicação: Logan

Fala, Galeres, estou de volta. Agora sim, o filme mais aguardado do primeiro trimestre, o fim de uma era, um marco representativo na história de X-men no cinema: “Logan” - O último filme de Hugh Jackman como o mais querido dos mutantes, o poderoso (porém baixinho) Wolverine.


                Com 141 minutos, “Logan” é baseado no personagem Wolverine (Ah! Que óbvio!) do arco “Old man Logan”, porém, o enredo parece muito mais baseado no game “The last of us”, e como tal, conta a história de um homem velho (relativamente), cansado e marcado pela dor, que precisa levar uma criança, de quem inicialmente, para um ponto determinado (muito distante), enfrentando inimigos que querem captura-la. Além disso, também se faz presente aquele clichezão de que o “velhote” tem que aprender a amar novamente.


Bom, vamos ao verdadeiro enredo. “Logan” se passa anos após o fim das guerras contra os mutantes. Os X-men estão mortos e apenas três mutantes conhecidos ainda vivem, o velho Wolverine, cujo fator de cura degenerou deixando sofrendo e vulnerável, o nonagenário professor Xavier, cuja mente está degenerando devido à idade, e o rastreador fotofóbico Caliban. Um laboratório militar americano, operando no México, conduzia experiências com crianças mutantes. A trama trata de Logan (forçado) ajudar uma dessas crianças (vocês já sabem quem, aposto que todos adivinharam nos trailers) a chegar a um local seguro.
Três coisas me incomodaram no filme, apenas três (também, só assisti uma vez até agora).
A primeira é a insistência dos personagens em dizer que a X-23 é filha de Logan, o que embora seja um simbolismo, não é exatamente verdade. A terceira coisa não pode ser dita (Major spoiler), mas a segunda é clara: X-24 (de onde eles tiraram essa ideia?).


A imagem é sensacional, os locais de filmagem trazem vivamente a sensação de velhice e debilidade de Wolverine o tempo todo, nos lembrando bem do que se trata a história.
As atuações foram sensacionais, e embora não me lembre muito bem das músicas, lembro-me de estar integralmente imerso no filme.
A violência se faz presente o tempo todo (Até que enfim), digna do selo Deadpool de aprovação, por isso, pense duas vezes antes de levar as crianças, pois decapitações, lacerações e decepação de membros são uma constante.
Galere, para ser simples, o filme é muito bom, e o final não podia ser melhor (embora surreal e tenha irritado alguns fãs). É isso e só isso.


Por hoje é só, galeres (como se fosse pouco), “Logan” estreou na sexta feira dia 3 de março, por isso, ainda está no cinema (até a data dessa postagem, lógico), por isso indico ferozmente que corram para assistir (se é que já não viram, né).  Agradeço pela atenção, e até mais.

Corvo Gordo

terça-feira, 14 de março de 2017

Indicação: Sete minutos depois da meia-noite.

Fala, galeres! Eu sei, eu sei, o blog está às moscas, e digo mais, esse ano parece que vai assim mesmo. Inclusive, já adianto que este é um ano decisivo para o ninhodecorvo, se não fecharmos a página até dezembro, pouco provável que fecharemos nos próximos anos.


Galeres, o negócio é o seguinte, essa postagem era para ter saído há alguns dias dias, mas vamos lá. “A monster calls” é um filme profundo em sentimento e significado. Tão verdadeiro na força do que mostra que tive que postergar minha opinião sobre “Logan”.
O enredo é baseado em um livro homônimo, e trata da vida de um garoto, Conor, de 13 anos de idade, cujos pais são separados e, devido à doença de sua mãe, precisa ir morar com a avó, de quem não gosta.
Conor é um garoto introvertido, que internaliza seu sofrimento e quase não conversa. Entre o bullying diário, a doença de sua mãe, os atritos com a avó e a ausência do pai, o garoto encontra disposição para a arte (desenho e pintura) e fantasia.
Meus caros, se eu disser mais, vou ter que dar spoilers, e isso já é demais.
Durante 108 minutos, o filme lançado em Janeiro deste ano (5), escancara o simbolismo em nossa face, quase explicando-o para o público, e mesmo assim, nos sentimos intrigados por aquela representação.


O Teixo, dublado por ninguém mais que Liam Neeson (Ra's Al ghul em “Batman Begins” e Zeus em “Fúria de Titãs”1 e 2), estronda pela sala do cinema, repercutindo fortemente na vida de Conor (ou será o contrário?).
As cenas são sensacionais, principalmente nas inflamações do Teixo e na estilização de seus contos (contos?).
Mais isso não é nem de longe o mais importante no filme. O Drama se entrelaça com a fantasia, muito bem, traduzindo bem os sentimentos de dor,  solidão e desespero.
Eu afirmo hoje e pretendo continuar afirmando, em minha opinião, apesar de ser inconsistente com o dito acima, não há fantasia no filme.
Eu recomendo muito para todos vocês que ainda não assistiram, mas deixo um aviso, esse não é um título que eu queira assistir novamente tão cedo, a dor de Conor é tão vívida, tão presente e tácita que marca profundamente o espectador, ensinando empatia até nos mais duros corações.


Bom, é isso por enquanto pessoal, não percam esse título. Logo devo publicar minhas visões sobre “Logan” e “A chegada”, dois outros filmes recentes. As outras séries em andamento no blog também devem voltar em momentos oportunos. O “guia de sobrevivência ao apocalipse zumbi” está chegando à reta final, por isso espero os dias certos para as próximas publicações. Até mais, muito obrigado.
Corvo Gordo

sexta-feira, 10 de março de 2017

Relato de minha ansiedade

   Olá, queridos amigos, companheiros, colegas e leitores aqui do blog. Como vocês estão? Eu estou em uma das maiores correrias que já pude vivenciar, sem tempo pra muita coisa, devido ao meu projeto de iniciação científica, mas senti falta de escrever pra vocês, então decidi postar algo como um desabafo.


   Não me lembro se já comentei com vocês, sou muito ansiosa, o que muitos irão assimilar com passar o dia pensando em um evento que está por vir ou com expectativas para uma festa em que o crush estará, ou até mesmo a louca vontade de que um dia chegue logo pra poder ir assistir um filme que você quer muito ver no cinema. Ao todo, você não está errado, mas se esse resumo de ansiedade fosse tudo, eu não precisaria escrever um post sobre isso.

    Quando somos exageradamente ansiosos, não pensamos apenas em um evento, pensamos em nosso cotidiano, nossa mente está sempre afogada de pensamentos sobre o que pode acontecer amanhã, hoje, daqui a 5 minutos. Quando temos um compromisso marcado para muito cedo: "e se eu não acordar?"; "e se o despertador não tocar?". Quando temos que ir pra faculdade: "e se eu me atrasar?"; "e se eu perder o ônibus?"; "e se eu não entender a matéria?". Sem falar nas vezes em que, do nada, passamos a pensar em como podemos ser um fracasso no futuro, passamos a querer fazer algo a respeito, mas acontecimentos do presente nos desanimam e ficamos pensando e pensando e remoendo em como podemos não realizar nada do que sonhamos para nós.


   Ficamos acordados até tarde e, às vezes, até viramos a noite pensando em que roupa iremos usar amanhã, o que falaremos pras pessoas, como deveríamos agir, como faremos amigos, ou como manter o que já temos. Quando a exaustão toma conta do nosso corpo, lá pras 8h da manhã, a gente se obriga a dormir (estudo a noite, por isso, comigo é assim), mesmo que em vão, já que não conseguimos relaxar nossos maxilares, estão sempre sendo forçados, sempre cerrando os dentes e temos que nos concentrar para que paremos de fazer força nele.

   Em meu caso, muitas das vezes minha ansiedade não está ligada com expectativas felizes, mas são pensamentos negativos e de preocupação, por isso ela sempre acompanha a minha depressão. Uma vida de preocupações contantes com coisas pequenas, é cansativa e autodestrutiva.

    Atualmente, apesar de eu ainda não ter procurado ajuda de um profissional (psicólogo ou psiquiatra), eu tenho total noção de que eu já deveria ter me consultado, mas a grana tá curta. Para me ajudar, estou tentando me ocupar de uma forma que eu passe a me amar mais, como me exercitando pra emagrecer tudo o que engordei com a depressão, tomando chás calmantes a noite para conseguir dormir, participar de atividades da faculdade, apesar da atlética acabar de ser fundada, já estou atrás de ser líder de torcida e, provavelmente, também jogarei xadrez em nome do Instituto.


   O que estou tentando fazer por mim mesma, COM CERTEZA, não é o suficiente, não irá me curar, não me fará 100%. Mas já ajuda. Me sentir um pouco mais bonita, me faz achar forças pra sair de casa. Dormir bem faz com que eu consiga completar minhas obrigações, ao invés de me frustrar com minha irresponsabilidade (afinal, eu sempre me culpo). E, atualmente, parei de comer miojo e passei a fazer minha própria comida, mesmo que eu odeie cozinhar, comer melhor, te faz melhor, eu tenho tido mais energia pra me forçar a sair da cama, algo que sempre foi uma tarefa difícil.

   Sinceramente, tudo que tá escrito aqui eu simplesmente tirei de meu peito, de minhas experiências cotidianas. Talvez eu procure algum psicólogo para fazer perguntas mais técnicas e pegar algumas dicas, fazer uma apresentação mais detalhada de como é a ansiedade e, então, passar para vocês.


   Bom, me sinto mais aliviada, por isso que eu amo escrever. Hahahahaha. Espero que tenham gostado da leitura e não se esqueçam de comentar, eu quero saber se passam ou já passaram por isso, o que vocês pensam sobre o assunto, como vocês lidam com isso, eu quero saber tudo. Porque eu sempre me sinto melhor quando converso com alguém sobre e, se eu puder ser esse alguém pra vocês, eu ficaria muito feliz. Falem comigo. E obrigada pela atenção.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

O que há de errado com o brasileiro? #1

   Olá, queridos amigos, companheiros, colegas e leitores aqui do blog. Tudo bem com vocês? Sempre que vou a sites de notícias me deparo com comentários insensíveis, que geram uma revolta interior no meu serzinho. O problema é que as pessoas esquecem que, apesar da internet ser livre para você expôr sua opinião, tem vezes que é melhor ficar caladinho, pra não passar vergonha.

   Enquanto eu lia, pensei que talvez vocês fossem compartilhar da mesma opinião que eu, afinal, não dá pra saber qual o problema das pessoas que postam esse tipo de comentário. E eis que decidi separar alguns dos piores tipos pra vocês, não será um post que vocês vão necessariamente gostar, mas é sempre bom reforçar que esse tipo de comportamento é inaceitável.


   De acordo com o site de notícias, a mãe dessa criança já havia perdido em 2015 outra filha, que o padrasto espancou até a morte. Como foi provado que a mãe não tinha ciência do abuso do marido, ela não recebeu nenhuma pena, mas teve sua filha mais nova tirada de sua guarda. Porém, o novo guardião da criança, não só abusou sexualmente dela, também a matou, sendo que nem sob os cuidados da mãe a criança estava. Mas, ao invés de condenar os agressores e o estuprador, o comentarista prefere fazer uma piada de extremo mal gosto, ignorando a responsabilidade dos criminosos.


   Antes de mais nada: não aceitamos nenhum tipo de preconceito em nosso blog. E vale comentar que, se você encontra alguém supostamente fazendo "obscenidades" em local público, você aciona a polícia, ao invés de quebrar o nariz da pessoa. Além disso, achar que violência a homossexuais é algo bom, torna você o tipo de pessoa que os familiares não querem chamar para as comemorações.


   Não houveram perguntas, nem conversa, os seguranças da igreja chegaram batendo em um morador de rua que foi acusado por sabe-Deus-quem de ter roubado um corrimão de aço inox da escadaria da igreja. Chamar a polícia pra quê, né? Apesar do mendigo, que também é catador de lixo, então limpa a cidade do que os porcos fazem, ter afirmado não ter sido ele a roubar, apesar de testemunhas afirmarem ser um morador de rua pacífico e que nunca causou nenhum mal, Sergio Santos achou que a costela quebrada do agredido foi justa.


   Eu nem sei se consigo comentar esse acúmulo de preconceito e falta de senso dessas pessoas, que soltam chorume na internet em uma notícia onde a criança foi morta e encontrada em uma mala em um lixão e, pra piorar, o assassino era um conhecido da família.


   Pra fechar com chave de ouro, mais um caso onde a mulher não é somente agredida, mas foi queimada viva, por recusar-se a ter relação sexual com o companheiro, porém, certos comentaristas acham que a culpa é da mulher, afinal, nós mulheres não precisamos ter vontade para fazer sexo, não podemos estar cansadas, ou simplesmente não estarmos afim. Esse tipo de comentário reflete que a sociedade brasileira é marcada pelo machismo e pensamento de que as mulheres não podem ter voz.

   Enfim, esses foram alguns dos incontáveis exemplos de intolerância, machismo, homofobia, que perpetuam na sociedade brasileira a despeito das crenças, ignorância ou simplesmente falta de educação de muitos conservadores que esquecem que liberdade de expressão não é desculpa para o discurso de ódio.

   E o que vocês acharam a respeito? Lembrando que é sempre bom pensar antes de postar um comentário, o que obviamente o pessoal acima não o fez. Esse post não será muito frequente no blog, a não ser que vocês queiram. Obrigada pela atenção.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Rio Preto Shopping Anime Summer: como foi?

   Olá, queridos amigos, companheiros, colegas e leitores! Como vocês estão? Hoje eu fui em um evento cosplayer e concurso de coreografias kpop que ocorreu em minha cidade, junto do Corvo Gordo e mais dois amigos. Então, decidi compartilhar com vocês a experiência, o que foi bom e o que foi ruim do evento, além de falar se valeu ou não a pena ter ido.


   Antes de eu começar, gostaria de ressaltar o quanto é legal e importante para nós, que curtimos animes e kpop, existir esse tipo de evento em nossas cidades. Por muitas vezes lemos notícias a respeito em outras regiões, vemos coberturas no youtube (ou até mesmo na TV), mas não temos a oportunidade de irmos, ainda mais quando a comunidade otaku não é tão grande na cidade. Felizmente, em São José do Rio Preto, tem-se um volume consideravelmente bom, o que tornou possível o Anime Summer.

   Se eu não me engano, o cronograma dizia que primeiro haveriam as apresentações de grupos de cover kpop, porém, quando cheguei estava ocorrendo os desfiles de cosplays. Creio que deve ter ocorrido algum imprevisto e trocaram os horários. Logo após se apresentarem, já houveram as premiações e abriram espaço para que os grupos cover pudessem se apresentar. Não lembro ao certo o horário, mas o desfile aconteceu bem rápido e, de certa forma, as apresentações de dança também.

   Vocês devem estar se perguntando o motivo de eu estar descrevendo de forma tão vaga as apresentações, sendo que eu poderia comentar sobre os melhores cosplayers e mostrar a vocês as fotos, assim como as apresentações de covers, porém, não será possível, porque foi extremamente difícil ver o pouco que vi do evento. O motivo? Em frente ao palco havia um palyground montado há alguns dias, para crianças pequenas, que ocupava a maior parte do pátio, deixando um espaço de no máximo 2 metros de largura na frente do palco, fazendo com que quem quisesse assistir tivesse que, ou estar bem na frente (o que tinha um limite máximo), ou subir na praça de alimentação e tentar enxergar alguma coisa, ou assistir de trás do parque, o que era uma distância considerável.

   Outra pequena reclamação é que, por ser um espaço muito aberto, junto a praça de alimentação, a acústica do local não ficou muito boa, sendo complicado entender o que os apresentadores e juízes estavam falando, mal dava para escutar o nome dos grupos e/ou integrantes, outro fator que me desanimou, pois gostaria de tê-los fotografados e apresentado à vocês.

Manu segurando a bolsa e tentando assistir as apresentações

   Acho que nem preciso comentar que sempre tem as pessoas mal educadas, não é mesmo? O cara que tem +2 metros de altura que brilhantemente decide ficar na frente de todos, sendo que era o cara mais alto do shopping inteiro. A garota que, enquanto eu estava tentando filmar uma apresentação de dança, decidiu subir em cima da cerca do playground e ficou na frente da apresentação, mas não que desse pra ver as garotas dançando mesmo. E o que marcou com chave de ouro: um dos grupos covers que apresentou queria assistir as gravações delas dançando, elas saíram de onde estavam, me empurraram pra trás e ficaram assistindo a apresentação delas em uma câmera, sendo que poderiam ver em qualquer outro lugar que não atrapalhasse os outros.

   Com todas essas adversidades, ficou realmente difícil fotografar e filmar com qualidade, o que me deixou realmente frustrada, pois na minha imaginação utópica, eu conseguiria trazer imagens fantásticas para vocês, o que ficarei devendo.

   Como eu já havia dito no início do post, eu fico realmente feliz que existam esses eventos gratuitos, que abra um pouco de espaço para os kpoppers e otakus de nossa cidade, porém, já que se comprometeram a fazer o evento, poderiam ter planejado melhor o espaço, quer dizer, nem todo otaku é cosplayer, nem todo otaku é kpopper e nem todo kpopper sabe dançar. Então, da próxima vez, ao planejarem um evento desses, poderia haver mais espaço em frente ao palco, para que todos possam assistir as apresentações. E não seria uma má ideia terem colocado algumas mesas para aqueles que fossem jogar Magic e terem colocado mais atrações, como espaço para competição de larp e uma lona branca para que os cosplayers pudessem ser fotografados junto de outras pessoas que quisessem colocar no face, insta ou até mesmo blog, o que teria salvado meu dia.

   Eu saí de lá meio cabisbaixa, mas não digo que não valeu a pena, apesar de eu ter escutado de pessoas próximas que não voltariam em eventos como esses, por causa de todos os ocorridos. No entanto, em minha percepção, creio que deixar de ir não trará opções melhores para nossa comunidade no futuro, o jeito é comparecer, dar nossa crítica construtiva e cobrar para que nas próximas ocasiões todos possam se divertir, ou pelo menos assistir.

Cm Yelloween (esquerda) e Yumi

   Aproveito o espaço para parabenizar a dupla Y2Moon, cujo as integrante se chamam Cm Yelloween (Geovanna) e Yumi (Anna Julia), que foram as vencedoras da competição de dança, como mostra a imagem acima. Essas garotas fizeram um show com a música Zutter da sub unit do BigBang, GD&TOP. E por sorte, POR MUITA SORTE, eu consegui tirar uma foto delas, pois prontamente atenderam meu pedido. São uns amorzinhos. Desejo vê-las em novas competições para eu voltar a falar de vocês aqui no blog, ok?

   Enfim, essa foi nossa experiência no Rio Preto Shopping Anime Summer que, como eu disse, não foi ao todo ruim, só tiveram algumas complicações. Esperamos poder contar com mais eventos para podermos passar à vocês! Obrigada pela atenção.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

GripeSuína TV! Gameplays e HUEHUEs

   Olá, queridos amigos, companheiros, colegas, familiares e leitores. Tudo bem com vocês? Como todos sabem (ou não), nós do blog Ninho de Corvo planejamos começar um canal no ano de 2017, aproveitando que o blog já fez um ano e já ganhamos um público mais fiel. E porque achamos que poderia ser interessante expressar nossas opiniões e fazer gameplays pra vocês.


   Claro que a gente não ia começar do nada, sem pedir ajuda e sem conhecer ninguém do ramo. E, coincidentemente, um de meus amigos retomou o projeto dele e voltou a gravar para seu canal, o que nos deu a oportunidade de iniciar uma nova parceria no blog.

   O canal dele se chama GripeSuína TV, que pode ser acessado ao clicarem no link. Se puderem fazer esse grande favor de acessar o canal deles, se gostarem, se inscreverem e deixar aquele like gostosão, ia ser fantástico!



   O mais interessante é que compartilhamos de ideias parecidas, o que faz com que tenhamos, no futuro, o público semelhante. Então, vocês que acompanham o blog, eu tenho certeza que irão gostar do conteúdo dele, pois, assim como eu, ele curte mangás e animes e, assim como o Corvo, ele faz parte da sociedade "gamer". HUEHUEHUEHUEHUE.

"É um canal jovem, tenho muitas ideias para executar em cima dele, mas antes é necessário mais experiencia para a maioria delas, porém futuramente planejo tornar esse canal um que entretenha muito bem pessoas que façam parte de qualquer comunidade nerd, desde gamers, até otakus e tal, só preciso encontrar a melhor forma de fazer isso em video seja em vlog ou em gameplay." - TV, GripeSuína


   Enfim, não se esqueçam de nos apoiarem, tanto a gente aqui do blog, quanto o Gripe. Caso queiram conhecê-lo um pouco mais, sejam bem vindos a contactá-lo por sua Página do Facebook e em seu Twitter também! Ele está comprometido a postar três vídeos por semana, de segunda, quarta e sexta. Não deixem de dar uma olhadinha, irá ser de grande ajuda! Ah, e deixem nos comentários ideias para vídeos, tanto para o canal do blog, quanto para o Gripe! Obrigada pela atenção!